A grande comissão: é dever de todo cristão fazer evangelismo

A grande comissão: é dever de todo cristão fazer evangelismo
Reprodução: Google

Antes de nos aprofundarmos nesse importante assunto para a saúde da vida de um cristão, vamos ver o real conceito de evangelismo de acordo com o dicionário.

Evangelismo: 1.caráter do ensino evangélico, conformidade com os ensinamentos dos Evangelhos.

De acordo com o Novo Testamentos em 1 Coríntios 15:3-4 (NTLH): “Eu passei para vocês o ensinamento que recebi e que é da mais alta importância: Cristo morreu pelos nossos pecados, como está escrito nas Escrituras Sagradas…”

Evangelismo é transmitir as BOAS NOVAS! É anunciar que cristo venceu a morte, que existe salvação e vida eterna para todo aquele que crê. Essa missão nos foi dada para dar continuidade ao ministério de Cristo, expandir o evangelho.

Não é porque os tempos mudaram que o evangelho passou por “reformas” onde o evangelismo não seria necessário, em hipótese alguma.

A palavra de Deus é imutável e em Deus não existe sombra de variação, Ele permanece o mesmo. Tg 1:17: “Toda a boa dádiva e todo o dom perfeito vem do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação.”

Um relato de evangelismo

Veja a história interessante de evangelismo que foi praticado por uma mulher chamada Helen Cadbury. Ela era filha do presidente dos chocolates Cadbury.

Em 1893 entendeu o poder de compartilhar as Boas Novas de uma maneira tão profunda, que reuniu um grupo de meninas e juntas costuraram bolsos em seus vestidos e levaram cópias do Novo Testamento para compartilharem essas Boas-Novas.

Foi este o começo da Liga do Testamento de Bolso. E, por causa dessa visão de evangelismo que ela teve, os membros da Liga do Testamento de Bolso têm compartilhado mais de 110 milhões de Evangelhos de Bolso.

Infelizmente nos tempos atuais quase não se fala mais em evangelismo, parece que o coração das pessoas parou de arder com a chama do Espírito e passou a arder por comodismo, distorções do evangelho (relativismo), ansiedades, interesses próprios, estrelismo, etc.

As pessoas estão achando que, apenas o fato de conseguir levar um não crente a igreja já está evangelizando, não que esteja errado, mas, o evangelismo verdadeiro foi substituído.

Às pessoas precisam entender que evangelismo não é uma opção, mas sim obediência a uma ordenança de Cristo, conhecida na Bíblia como a Grande Comissão.

“E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.” Marcos 16:15-16

Compartilhando o Evangelho

Quando acontece algo muito bom com você, algo que te trás muita alegria, qual sua reação? É compartilhar com alguém, é dividir aquela alegria imensa que transborda.

E se for algo eterno que salvará a vida de inúmeras pessoas? Imagina só, você ser canal de Deus para transmitir às Boas Novas e através disso muitos virem a Cristo se arrependendo de seus pecados, serem livres do inferno.

Esse dever de evangelizar não é motivo de soberba porque você foi apenas um instrumento nas mãos de Deus. É motivo de alegria porque um pecador pode se arrepender através da sua pregação.

É motivo de se alegrar porque você está cumprindo uma ordenança dada por Cristo, e a obediência nos trará galardão.

Cadê os crentes nas ruas?! Não se vê com mais frequência, o que está acontecendo?! A alegria da salvação está se perdendo? Fica a reflexão.

Lembre que chamado missionário todos nós temos, a começar do nosso lar, nosso bairro e onde estivermos. Lembre do que Cristo falou aos discípulos:

”Então, disse aos seus discípulos: A seara é realmente grande, mas poucos os ceifeiros. Rogai, pois, ao Senhor da seara, que mande ceifeiros para a sua seara.” Mateus 9:37,38

“Depois disto ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Então disse eu: Eis-me aqui, envia-me a mim.” Isaías 6:8.

Esse último versículo não se aplica apenas aos missionários que deixam seus locais de origem e vão para terras estrangeiras. Ele se aplica a cada um de nós na ousadia e disponibilidade de pregar o evangelho, entendendo a seriedade da vida eterna e do compromisso com Deus.

“E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos.” (Atos 4:12)