Para Deus, a nossa opinião não muda o que a Bíblia diz como ensino e verdade

Para Deus, a nossa opinião não muda o que a Bíblia diz como ensino e verdade
Reprodução: Google

Na passagem de 2 Timóteo 3:16 está escrito: “Toda Escritura é divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir, para instruir em justiça; para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente preparado para toda boa obra.”

Isto significa que, para a doutrina cristã, a Bíblia é o único livro divinamente inspirado. Deus nos deixou esse livro para que o conhecêssemos e soubéssemos do Seu plano através de toda a história e futuro.

É nessa Palavra que consta toda a verdade acerca das nossas vidas, por isso em Apocalipse 22:18,19 também está escrito como Deus reage aos que tentam distorcer a Sua Palavra, visto que não é permitido a nenhum ser humano alterar os ensinamentos das Escrituras por vontade própria.

“Eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro: Se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus lhe acrescentará as pragas que estão escritas neste livro; e se alguém tirar qualquer coisa das palavras do livro desta profecia, Deus lhe tirará a sua parte da árvore da vida, e da cidade santa, que estão descritas neste livro”, diz a passagem.

Quem interpreta a Bíblia?

A Bíblia por si só se explica, e é bastante clara quanto ao seu propósito. Como Palavra de Deus, ela é absoluta e suficiente. É o Pai falando e orientando seus filhos para uma vida próspera e feliz. É o Pai corrigindo àqueles que ama, para que não se percam.

Muitas pessoas hoje querem distorcer o seu sentido e propósito. Como é um livro que foi escrito há milhares de anos, porém inspirado pelo Espírito de Deus, a desculpa de muitos é de tê-lo como um livro retrógrado, pois esse livro tão questionado confronta o ego e arrogância humanas.

É claro que a leitura da Bíblia exige interpretação, mas ela se dá com base no que a própria Escritura oferece de compreensão. Ou seja, não é uma interpretação aleatória, com base no “eu acho”, mas sim com base no que a própria Bíblia diz acerca dela mesma.

Por isso podemos dizer que a Bíblia se autointerpreta, cabendo apenas ao leitor conhecer com profundidade os textos contidos nela, seu contexto, suas diferentes narrativas e circunstâncias em que foram escritos para que possa “interpretar” corretamente o ensino.

Apesar das muitas opiniões humanas e questionamentos, o fato é que essa Palavra tão rica e verdadeira continuará sendo a mesma. Em nenhum momento da história você verá Deus “negociando” a Sua Palavra por causa da sua própria criação, os humanos.

Muito pelo contrário, o Senhor diz em Jeremias 1:12: “Então me disse o Senhor: Viste bem; porque eu velo sobre a minha palavra para a cumprir.”

Deus, apesar de se importar e amar a sua criação, os humanos, Ele jamais aceitará distorções a respeito de Si e seus ensinamentos, logo, teorias humanas são como cinzas diante Dele.

A imutabilidade da Palavra

Nos dias de hoje, vemos de forma bastante clara, o cumprimento das Escrituras. Ela se renova a cada dia, de modo que podemos encontrar a resposta certa para cada situação que vivemos. É o Senhor falando conosco, trazendo direção para os nossos caminhos e escolhas.

A palavra do homem e o que ele acha não faz diferença alguma para Deus, pois tudo que vem de uma criação corrompida pelo pecado distorce a real essência da Sua Palavra.

Deus continua sendo o mesmo, Ele não muda e não mudará. Às Escrituras são vida para nossas almas, é salvação para todos àqueles que creem. Logo, nossa opinião diante daquele que tudo criou, e um dia voltará pra resgatar sua igreja, será totalmente irrelevante.

Por isso também em sua carta aos Gálatas 1, 8-9 o apóstolo Paulo deixa claro a natureza imutável das Escrituras, neste caso o Evangelho de Jesus Cristo. Ele diz que, ainda que um “anjo” apareça pregando outro ensino, este deve ser amaldiçoado (anátema).

“Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema. Assim, como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema”, diz o apóstolo.