Pecado imperdoável é um ensinamento simbólico ou literal na Bíblia?

Pecado imperdoável é um ensinamento simbólico ou literal na Bíblia?
Reprodução: Google

Quando se fala em pecado imperdoável, a primeira coisa que vem na cabeça do cristão é a famosa passagem de Mateus 12:31, que diz:

“Portanto vos digo: Todo pecado e blasfêmia se perdoará aos homens; mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada.”

Quando olhamos pra Cristo, é impossível imaginar que Ele não perdoaria algo, uma vez que veio redimir o mundo dos seus pecados.

Durante a sua passagem como homem, aqui na terra, Ele encontrou muitos desafios, e o maior deles foi a dureza de coração e sarcasmo das pessoas. Não que Cristo tinha algum tipo de dificuldade com isso, pois sabia e tinha a resposta certa para tudo, e Ele tinha propósito.

Mas pessoas como os fariseus, que falam tanto em santidade, dotados de conhecimento intelectual, se negavam a reconhecer o que realmente era sagrado, o orgulho os impedia de se arrependerem e reconhecer suas impotências humanas, de reconhecer o messias.

O pecado imperdoável, portanto, está em negar a Cristo. Está em virar às costas para Deus, pois uma vez que não há arrependimento, não há perdão. Os apóstolos chamam isso de apostasia, abandonar a fé.

Mateus 12:24: “Mas os fariseus, ouvindo isto, disseram: Este não expulsa os demônios senão por Belzebu, príncipe dos demônios.”

Como uma pessoa pode obter perdão, se rejeita claramente o Espírito Santo? Foi o que os fariseus fizeram. Não houve nenhum sinal de arrependimento, de reconhecimento de quem Cristo era, por parte deles.

Foi a partir desse episódio, no versículo 31 do mesmo capítulo, que Cristo menciona sobre a blasfêmia contra o Espírito Santo.

Os fariseus naquele contexto declaradamente escolheram atribuir a obra do Espírito Santo ao diabo, mesmo tendo provas visíveis da verdade. Foi por causa disso que Jesus declarou que a cegueira espiritual voluntária deles não tinha como ser perdoada, pois eles rejeitaram a Deus quando blasfemaram do Seu Espírito.

Não é simbólico, mas literal!

Muitas pessoas hoje ouvem a respeito de Cristo, e blasfemam, rejeitam, negam o seu nome. Não há perdão para àqueles que não se rendem. É neste sentido que o pecado imperdoável se torna literal.

Uma vez que Cristo é o único caminho de salvação e alguém deliberadamente o rejeita, não existe perdão para tal pessoa. Foi o que fizeram os fariseus em Mateus 12:31. Eles blasfemaram contra o Espírito Santo e não se arrependeram, logo: não tem perdão!

Por outro lado, Cristo anunciou a sua missão e plano salvífico para todos que se arrependerem, como está escrito: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo. 3.16).

Se, pois, não houver arrependimento, cada um será julgado conforme a ira do Senhor, uma vez que deixou de reconhecer os seus pecados e a suficiência da Graça de Deus através de Cristo, como está escrito:

“Quem crê no Filho tem a vida eterna, mas quem rejeita o Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece” (Jo. 3.36).